29 abr 2015

MODA & Literatura- Dica de livros

Apenas aproveitando que o blog está de visual novo e entrando nesse clima contagioso de novidades e coisas boas para falar de algo que eu amo e confesso claramente o meu vício: Livros. No caso de livros de moda, só não tenho a estante cheia – como é o caso dos meus livros de terror, hehe- porque livros do segmento de moda são MUITO caros.. Pois é, um absurdo né? Só penso que ainda mais para estudantes da área, deveria de haver um facilitador para o consumo dessas belezinhas em nossa vida, porque vou te contar..É necessário praticamente fazer um orçamento (!!!) dos livros desejo do mês/ano. E esse ano em especial, está havendo um lançamento maravilhoso atrás do outro. Aí fica difícil conciliar literatura, doces (2º vício), e tecidos (3º recente vício) nessa vida de estudante-estagiária de moda D:

Enfim, com esse post tenho o pretexto de apresentar os livros que possuo e que pasmem, Priscilla também tem alguns HAUAHAUAHAU Sério, quando uma das duas inventa de comprar livro de moda, comunica a outra para saber se quer um igual e aí racharmos o frete hehe

O primeiro livro que recomendo principalmente para pesquisas de moda seja para um trabalho de faculdade digno (ctrl c + ctrl v,nunca mais!) com informações válidas e leitura gostosa além de ricamente ilustrado, é o “Última moda- Uma história ilustrado do belo e do bizarro- Autora: Cox Jones Stafford; editora: PUBLIFOLHA.
Ele é tão bom que quando não tenho absolutamente nada para fazer, eu me pego devorando ele e fazendo anotações. Vale totalmente o investimento.últimaModacapitulo livro ultima modaAí temos um trio, que na verdade está incompleto pois são 5 livros que compõem uma coleção de livrinhos discutem os principais ícones de toda uma década que influenciaram e ainda inspiram, o mundo da moda. Mas por enquanto, só tenho propositalmente, os das minhas décadas preferidas: 1960, 1980 e 1990. Possuí uma linguagem bastante direta e objetiva, uma só página já é suficiente para entender todo o contexto do que é apresentado. É um daqueles livros de consulta rápida, só para você se inteirar no assunto, sabe? O precinho é bom! E quando entra em promoção, aí que eu levo dois de uma só vez ;D42202944 (1)pag livro 6042744504pag livro 8042744503pag livro 90Um grande (literalmente :P) presente que ganhei de aniversário. E para quem adora imagens/ilustrações, é um banquete e tanto! Há apenas pequenos parágrafos que ilustram a história da moda dos anos de 1901 à 1960, pois é, não há referências às décadas de 70,80,90 e tão pouco 00’s , maaas, é perfeito se quiser inspiração para criações baseadas na história da moda, pois as imagens/ilustrações são perfeitas.capa-100-anos-de-moda-lomb11pag livro 100 anos de modaComprei no impulso, admito. Mas é bom, viu? O fato é que não curto muito desenhar, aí ele fica guardadinho, quase intacto na minha instante, o coitado. Mas como é recomendado por muitos profissionais da área, ele está na lista. O legal desse livro de Ilustração de moda é que ele sai do lugar comum ao expor o lado de próprios ilustradores atuantes na área! Ele faz uma pequena entrevista a fim de conhecermos o trabalho desses ilustradores, dicas, técnicas de ilustração, materiais e muito mais, tudo de um jeitinho descomplicado e profissional. FASHION ILLUSTRATOR- Manual do ilustrador de moda 2ª edição revista e ampliada- Autor: Bethan Morris  Editora: Cosacnaify7140532G1pag livro fashion ilustratorEsta aí um livro que eu leio e releio constantemente pelo simples fato dele estar sempre por dentro da atualidade. Ele aborda moda, sociologia, antropologia, psicologia e até um pouco de marketing sem ser uma leitura pesada. VÍTIMAS DA MODA? Como a criamos, por que a seguimos. Autor: Guillaume Erner Editora: Senac São Paulo.5488136g1pag livro vitimas da modaTentei e tentei me enveredar por essa áreas mas realmente..Não dá. Não sirvo para ficar analisando o estilo pessoal alheio e ficar dando pitaco! Eu simplesmente..Travo. Minha mente dá um branco horroroso e eu esqueço tudo o que aprendi a respeito de silhueta, estampas e padronagens, cores e tudo o mais que envolva o universo do Consultor de Imagem e inclusive do Personal Stylist! O livro é de leitura fácil e objetiva, tem ilustrações, mas que julgo não ajudarem em nada nas explicações. PERSONAL STYLIST- Guia para consultores de imagem. Autora: Titta Aguiar. Editora: Senac São Paulo21575153_4pag livro stlistFaz parte de uma coleção, mas como apenas esta belezinha entrou em promoção num preço amigo, só tenho ele mesmo. É maravilhosamente rico em imagens, com muitos editoriais , desfiles e imagens do próprio estilista que ilustram o que é apresentado em cada capítulo.  Universo da moda- THIERRY MUGLER Autor: François Baudot Editora:Cosac & Naify10092gpagina livro muglerÉ isso. Espero que tenham aproveitado e já feito a listinha de livros-desejo porque vale totalmente o investimento afinal, livros & conhecimento, são para sempre. sz

27 fev 2015

Tendência à vista: Bustiê – Antes e Depois

Dolce & Gabanna
                      Acompanhando a febre do top cropped, resurge uma peça igualmente icônica que nos remete a data passada de 1950, preenchendo as passarelas e já se fazendo presente nas lojas; o bustiê, peça justinha que ressalta o contorno dos seios, dá as caras numa explosão de materiais, cores e texturas diferentes. Indo além do típico rendado ao passar pelo moletom, neoprene e até mesmo um estruturado jeans ou a reveladora lycra. 
Peitilho e Ilustração de Pin Up
                      Pesquisando em meus livros de moda, penso que seu ancestral mais próximo seja o Peitilho: datado do final do século XVI; a barriga continuava tendo a função de ser apertada e exprimida até que sua portadora sofresse de desmaios à grande falta de ar; tudo em prol de uma silhueta perfeita aos olhos da época. No entanto, diferente do espartilho, o peitilho era usado externamente, ou seja, ficava totalmente a mostra sobre a roupa, salientando um volume exagerado dos seios ao serem achatados e empurrados para cima.

                    Mas tá na cara que o bustiê não tem essa função, pois embora um tanto sexy, ele emoldura ao invés de achatar e gerar tanto desconforto. Uma peça um tanto versátil ao cair bem com shorts, saia e até mesmo calça, trafegando entre estilos diferentes que vai da estonteante pin up à moda alternativa e a comum. 
TRIYA
Fontes de pesquisa: Livro Última moda- Uma história ilustrada do belo e do bizarro- PubliFolha

Dúvidas e sugestões comentem aqui ou me enviem um e-mail para: jessicavqueiroga@outlook.com
Grata pela visita!
Jéssica V.Queiroga

27 jun 2014

Camiseta: Ícone de gerações

                     Imagine um outdoor ambulante  que as pessoas carregam no peito, traduzindo suas ideologias, gostos, ideias ou apenas senso de humor. Imaginou? Pois bem, aí temos a camiseta/t-shirt. Assim como a calça jeans, seu uso inicial era restrito aos homens, até alguém ter a brilhante ideia de usá-la de um outro jeito e voltada para todos os públicos, indo desde mulheres à crianças e adolescentes. Antigamente ela era vista como roupa de baixo dos romanos que a usavam por baixo da túnica para proteger da transpiração e preservar os adornos em ouro,prata e pedras preciosas, para séculos depois, ser transferida para os soldados da 1ª Guerra Mundial. E até quando se popularizou entre as camadas sociais, ficava escondidinha debaixo de uma camisa. Foi nos anos 50 que ela passa a ser peça de moda quando influenciada pelo cinema hollywoodiano; astros como James Dean, que usa uma camiseta branca no filme Juventude transviada,a transformaram no símbolo da nova cultura jovem. 50 anos depois, a camiseta básica existe, mas evolui pois, se os jovens dos 50’s usavam modelos justinhos,acentuando seus bíceps e tudo mais, hoje os rappers utilizam modelos folgados, tornando-a uma peça cult,à exemplo temos Kanye West. Acreditem ou não, a camiseta branca é tão barata nos EUA, que entre o pessoal dos guetos criou-se o hábito de vesti-la, usa-la e depois jogá-la fora. E vestir uma nova no dia seguinte!! Segundo especialista em moda e comportamento do documentário, em 1º lugar isso vem da preguiça. E também, da vontade de usar algo novo todo dia. É como passarmos o dia arrancando etiquetas e se sentindo bem com isso,sabe?  E foi a partir dos anos 90 que as t-shirts ganharam modelagens e formas diferenciadas como a gola “V”, canoa, as babylooks, sem mangas (regatas) e as camisetas largas. Tem para todos os gostos,fachas etárias e biotipos!
                   

                          Enfim, muita coisa aconteceu e, de lá para cá a camiseta ganhou status de peça mais popular do vestuário universal. Ela não é mais só uma peça de roupa, ela representa quem a veste, ocasionando muitas vezes em prisões, como foi o caso do turista Rock ao usar uma t-shirt da campanha Protect your skin (Proteja a sua pele) voltada a prevenção do câncer de pele e que, cujas estampas, retratam famosos como modelos e cantoras, nus. O caso do Rock foi com uma t-shirt da Kate Moss, que incomodou em Dubai,um senhor na padaria. Rock acabou preso e processado, mas não se livrou da camiseta, pois segundo ele, ela traz toda uma história e aprendizado.
.

 Fecho essa pequena análise com uma frase do estilista Yves Saint Laurent : 
“Tudo o que uma garota de 20 anos precisa é de uma t-shirt e um par de jeans”.

Dúvidas e sugestões comentem aqui ou me enviem um e-mail para: jessicavqueiroga@outlook.com
Grata pela visita!
Jéssica V. Queiroga

Última